Soluções em Envelopes Plásticos

Como aplicar growth hacking em seu e-commerce

Como aplicar growth hacking em seu e-commerce

Todo gestor de e-commerce deseja ver seu negócio em expansão e conquistando cada vez mais clientes. E através de diferentes técnicas de marketing, é possível trazer melhorias no desempenho da loja e aumentar seu faturamento. Uma das técnicas utilizadas é o chamado growth hacking.

Se você ainda não conhece esse termo, e ficou curioso para saber como ele pode ajudar seu e-commerce a crescer, continue acompanhando o post de hoje.

O growth hacking

De acordo com Sean Ellis, criador do growth hacking, a definição mais correta para o termo é “marketing orientado a experimentos”.

Ou seja, em outras palavras, growth hacking representa o processo de enxergar oportunidades e “falhas” em um negócio, a fim de desenvolver estratégias específicas para trazer resultados rápidos e melhorar o crescimento da empresa.

O growth hacking age através da busca por gatilhos e da experimentação de ações que promovam um crescimento acelerado.

Dentro das empresas, o responsável por aplicar essas estratégias e observar as falhas do negócio, é o profissional chamando de growth hacker.

Como ele funciona?

O processo de growth hacking ocorre de maneira prática, já que seu foco é a experimentação (validar hipóteses) de ações que buscam trazer algum resultado.

Aplicar o método de growth hacking nas empresas, na maioria das vezes, segue um padrão que consiste em um funil formado por cinco estágios:

  1. Aquisição: consiste nas ações para atrair e conquistar novos clientes.
  2. Ativação: oferecer uma primeira boa experiência ao cliente, resultando no faturamento efetivo do consumidor.
  3. Retenção: entregar recompensas acima da média da concorrência, garantindo o retorno do cliente à sua loja.
  4. Receita: é quando os clientes passam a gerar um faturamento para o negócio, caracterizando a entrada de dinheiro no caixa.
  5. Indicações: momento em que o cliente passa a indicar sua loja para amigos e conhecidos.

Como o processo de aplicação do funil pode variar de acordo com o segmento de mercado da empresa, no caso dos e-commerces, as cinco etapas são reduzidas a quatro.

Já que a ativação e a receita podem ser consideradas apenas um estágio, o de entrada de dinheiro no caixa graças às aquisições dos consumidores.

Vale ressaltar que as ações de growth hacking são aplicadas nas etapas do funil com o intuito de otimizá-las.

Como aplicar no e-commerce

Como comentamos acima, o funil no e-commerce é reduzido para cinco estágios. Por isso, confira agora como aplicar o growth hacking no seu e-commerce.

Antes de pôr o método em prática, é necessário que o gestor defina um objetivo para o seu e-commerce. Afinal, é por meio desse objetivo final que será possível identificar quais serão os estágios do funil que o growth hacking irá otimizar.

Portanto, as etapas para implementação do growth hacking no funil consistem em:

1 . Priorizar ações

A primeira etapa trata de focar a atenção em ações mais específicas, para então partir para a geração de ideias. O propósito deste primeiro passo é evitar a criação de projetos com baixo poder de retorno para o gestor.

Portanto, vale pesquisar o desempenho de cada página do e-commerce isoladamente, bem como questionar a meta das ações: curto, médio ou longo prazo, busca por resultados rápidos, quantia de verba disponível, etc.

2. Gerar ideias

Após identificar quais páginas do e-commerce devem ser priorizadas, é hora de pensar em ações alinhadas à estratégias que tragam resultados efetivos de crescimento para o e-commerce.

As ideias podem vir através de pesquisas de cases de sucesso, benchmarking de outras empresas referência no seu segmento, grupos de profissionais na internet, fóruns, dentre outros.

Nesta etapa, o ideal é anotar todas as ideias, para que sejam melhor construídas durante o processo. Procure também realizar reuniões de brainstorm com a equipe, para desenvolver melhor os pensamentos e chegar a um resultado satisfatório.

Por último, ainda dentro do processo de geração de ideias, reúna todos os seus planos na parte do funil em que elas trarão mais resultados, como utilização de CTA’s para atrair público, aplicação da psicologia das cores no design do site, dentre outras.

3. Eleger ideias

Agora que as ideias já estão formadas, é hora de classificá-las em custo e complexidade de ativação, impacto nos resultados e expectativa de sucesso.

A partir desses três indicadores, é possível estabelecer quais ideias são mais viáveis e efetivas (aquelas de menor custo, maior impacto e grandes chances de sucesso), podendo assim escolher quais serão prioridade nos próximos meses.

4. Modelar experimentos

Essa fase é a responsável por transformar a ideia em uma hipótese. É durante esta etapa que o conhecimento científico do growth hacking deve ser aplicado, e que as perguntas devem ser feitas.

Se houver a necessidade de comprovar o experimento, você pode utilizar o chamado Teste A/B (aplicados com a intenção de comparar as variáveis obtidas nas estratégias de Marketing) com um grupo selecionado de pessoas.

Caso haja dificuldades durante esta etapa, pode ser necessário repensar as ideias priorizadas, ou dividir o experimento em fases menores. Afinal, o propósito do método growth hacking é justamente comprovar hipóteses de maneira mais rápida e eficiente possível.

5. Implementar os experimentos

Na penúltima etapa, é hora de aplicar os experimentos de forma prática. Já que, o objetivo agora é comprovar a hipótese levantada na etapa anterior.

Mas atenção, nunca teste duas hipóteses ao mesmo tempo, pois será impossível identificar qual ação gerou determinado resultado para o seu e-commerce.

6. Analisar os resultados

A última fase para a implementação do growth hacking é a análise dos resultados. Durante este processo é preciso considerar que cada hipótese levantada pode ter métricas de análise diferentes.

Caso os resultados tenham sido positivos, você pode procurar pelas ideias similares apresentadas no início do processo, e acrescentar uma nova prioridade à elas.

Já para os resultados negativos, é preciso buscar o motivo da ideia ter falhado, revisando todo o processo.

É importante destacar que durante a análise de resultados, novas ideias podem vir à tona, dando segmento ao processo, e que tudo que foi aplicado vale como aprendizagem para o futuro.

Gostou das dicas de como aplicar o growth hacking no seu e-commerce? Tem alguma dúvida sobre o processo? Então deixe sua opinião nos comentários, e continue acompanhando assuntos essenciais para a sua loja virtual no blog da Veloplastic.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *